Você sabe o que é “Cannabusiness”?

No maior evento de inovação e tecnologia, o South by Southwest (SXSW) 2019, realizado entre os dias 8 e 17 de março, na cidade de Austin – Texas (EUA), uma das trilhas abordadas foi o “Cannabusiness”.

Site: SxSw

Vale ressaltar que o foco do festival são os temas voltados à tecnologia e inovação, e independente da natureza, o que é exposto no SxSw é sério e de cunho inovador.

Talvez, seja compreensível por que tal assunto foi pauta no festival por um novo comportamento de consumo que foi notado quando vemos os números do mercado da maconha nos EUA.

Números do mercado Cannabis nos Estados Unidos em 2018

relatório da consultoria Whitney Economics publicado em Março de 2019, aponta que a força de trabalho ligado ao mercado cannabis, cresceu 44% nos Estados Unidos em 2018. Além disso, apresenta que 34 estados legalizaram o uso de cannabis medicinal e 10 estados e Washington, D.C., legalizaram o uso adulto da maconha.

Outro dado que chama a atenção é que o mercado movimentou em vendas nacionais a quantia aproximada de US$ 11 bilhões de dólares. E o número de americanos diretamente empregado nesta indústria em expansão subiu para mais de 211.000 pessoas.

Quando falamos em impostos, os números de 2018 também impressionam, conforme exposto no gráfico do relatório.


Fonte: Special Report:Cannabis Jobs Count


Futuro do Cannabusiness

Segundo Troy Dalton, empresário referência do setor e CEO da Arcview (empresa que atua como fundo de investimentos e desenvolve pesquisas sobre o assunto) em matéria concedida a UOL, é quase inevitável assistirmos aos 50 estados americanos aprovarem o uso legal da maconha.

Diante desse cenário, e tendo ótimas perspectivas futuras, começam a surgir as empresas desse mercado. É o caso da MedMen, a maior rede de varejo do segmento, e já conta com 19 estabelecimentos, entre lojas e fazendas.

Em matéria concedida para a UOL, Adam Bierman, fundador da MedMen, esteve no SxSw. “Lá, fez questão de reafirmar que a sua empreitada tem propósito, palavra-chave nos dias de hoje. Segundo ele, a maconha é um produto que proporciona qualidade de vida e, embora ainda existam garotos que queiram “apenas ficar chapados”, 90% das pessoas usam a droga para o bem-estar. Ou seja: bem-estar importa.”

Lúcio Freitas

Com tudo isso, o tema tem despertado o interesse de grandes empresas que estão investindo em pesquisa e desenvolvimento de produtos (P&D) à base de maconha. Gigantes como: a Coca-Cola, a AB InBev e a Constellation Brands, dona da marca Corona.

Enfim, independentemente das razões de cada um (seja do festival SxSW, as empresas do ramo ou as gigantes empresas que estão investindo em P&D), não é todo dia que notamos um novo padrão de consumo e principalmente de cultura com proporções relevantes no cenário econômico. Por esse motivo, o SxSW se propôs a discutir o tema, já vislumbrando o novo mundo que está batendo a nossa porta.

Em uma declaração, Bierman disse: “Cannabis: from normal to criminal and back to normal” (traduzindo: “Maconha: de algo normal para criminoso e de volta a algo normal”).

Bierman

Vamos acompanhar as cenas dos próximos capítulos desse novo negócio que descortina. E aos empreendedores de plantão, é hora de pensar em Cannabusiness.


							

No Comments

Leave a reply